Música de Domingo #39: The Birds of Satan

the_birds of_satan

Birds of Satan é o mais novo projeto paralelo do Taylor Hawkins, baterista do Foo Fighters. No dia 15 abril sai o álbum, com participação dos amiguinhos do Foo Pat Smear e Dave Grohl.

Adoro acompanhar os projetos paralelos dos músicos que gosto  pois em todos eles conhecemos um lado novo dos integrantes. Taylor tem uma voz muito boa que passou a ser explorada pelo Foo Fighters só depois do quinto álbum com “Cold Day in The Sun”. Agora é aguardar o álbum mas a banda já lançou o aúdio de Thanks For The Line:

Continue Reading

Música de Domingo #38: Os esquecidos do Grammy

grammys

Hoje é dia de Grammy, aquela premiação com 25 mil categorias mas que no final só umas 10 realmente importam.  Com tantas categorias é quase impossível que algum artista de destaque da música mundial não tenha um gramofone em casa, certo? Bom, não é bem assim.  A Rolling Stone americana fez uma lista com 25 artistas que não ganharam um Grammy sequer.

Alguns deles até já foram reconhecidos com indicações. É o caso de nomes  como Snoop Dogg, Depeche Mode, Katy Perry, Guns n´Roses, Oasis, Morrissey e Queens Of Stone Age.

Na lista ainda aparem artistas que não receberam nenhuma indicação ao prêmio, como é o caso de Spice Girls,  Strokes, Velvet Underground. São  artistas  que tem uma base de fãs bem considerável. O Grammy sempre foi uma premiação com categorias em quase todos os estilos musicais e por isso a maioria desses artistas poderia ser pelo menos indicada a alguma coisa.

Pra mim, as maiores injustiças são Strokes e QOTSA. São bandas sólidas que mereciam o reconhecimento. Hoje Josh Homme e cia tem chance de reverter isso, já que concorrem com o “Like The Clockwork” a melhor álbum de Rock e My God Is The Sun como melhor música de rock (ou algo do gênero)

Com esses artistas que ficaram chupando dedo, fiz a playlist mais louca que provavelmente esse blog vai ver: Os esquecidos do Grammy. Clica no player aí embaixo pra ouvir:

[gigya src=”http://grooveshark.com/widget.swf” type=”application/x-shockwave-flash” width=”400″ height=”400″ flashvars=”hostname=grooveshark.com&playlistID=94693788&p=0″ allowScriptAccess=”always” wmode=”window”]

Continue Reading

Música de Domingo #37: Odesza

odesza_band

Conheci o duo Odesza hoje cedo, porque uma música deles ela trilha sonora de um vídeo que estava assistindo no Vimeo.

A dupla é formada por Harrison Mills (Catacombkid) e Clayton Kight (BeachesBeaches). Os dois se conheceram na faculdade e acharam bacana se unir e fazer um som.

O som é bem lounge com uma pegada eletrônica. Recomendo duas músicas:

How did I get here?

My Friends never die

Links:

Facebook | Twitter | Site

Continue Reading

Música de Domingo #36: Beyoncé

beyonce_2013

O mundo da música deu uma sacudida na sexta, quando pintou um álbum da Queen B no Itunes. 14 músicas e 17 vídeos novinhos em folha pra gente comprar (ou baixar) e ter o que falar dela pelos próximos meses.

Em tempos de torrents e blogs vazando álbuns várias semanas antes, Beyoncé conseguiu manter esse álbum praticamente em segredo. A resposta padrão em entrevista é que ela estava trabalhando nas músicas e nada mais. Lançar álbum de surpresa não é nenhuma novidade, mas é uma tática que sempre gera repercussão.

No youtube, tem teaser de todos os vídeos, mas são só 30 segundinhos de alegria.

Como nessa internet a gente encontra tudo, o blog Tio Ique disponibilizou todos os vídeos na íntegra. Só correr lá e ter sua overdose de Beyoncé nesse domingo.

Continue Reading

Música de Domingo #35: Lorde

lorde

Não sei como ainda não falei da Lorde no Música de Domingo, já que é a cantora que mais tenho ouvido nos últimos tempos.
Ela tem 17 anos e já chegou ao topo da Billboard. Visual sombrio e música no melhor estilo “não ligo para você pensa”, a adolescente da Nova Zelândia conquistou várias indicações no Grammys com seu consistente álbum de estreia, Pure Heroine.

As minhas músicas favoritas dela são Royals, e Tennis Court, que já tem clipe:

 

We’re driving cadillacs in our dreams

 


Don’t you think that it’s boring how people talk?

Continue Reading

Britney Spears em 5 músicas

Britney+Spears

Hoje é aniversário dessa linda que todo mundo com mais de 20 anos acompanhou mesmo que de longe, esperando a banda da adolescência tocar no Disk MTV,

Britney é a única pessoa que manda um playback descarado nas suas turnês e eu continuo acompanhando.

Vamos comemorar com o que ela sabe fazer de melhor: Videoclipe!

O primeiro sucesso e a primeira frase de efeito: Baby One More Time

My loneliness is killiing me…

Minha música favorita de toda a carreira: Boys

Pharrell bota o dedo e vira ouro!

Fazendo amizade com gente grande: Me Against The Music

Início da fase It´s Britney bitch! : Gimme More

Sendo ciumenta e e pagando mais leve no autotune: Perfume

Uma das músicas novas que estão valendo a pena.

Happy B-day sua linda!

Continue Reading

Música de Domingo #34: Inky

inky

Conheci o Inky através do site Tenho Mais Discos Que Amigos. Eles fizeram uma session com a banda e acabei curtindo no primeiro play de Echoes in The Groove.

A quarteto é de São Paulo e seguem a linha eletro-indie-vaitocarnanight, mas com presença forte de guitarras e baixo. O som beira a tristeza em alguns momentos, mas quem disse que isso é uma coisa ruim?

O Inky já tocou na Europa ao lado de nomes como The Vaccines LCD Soundsystem, e  The Metropole Orchestra. O lançamento mais recente é o EP Parallels, que está disponível no soundcloud:

Continue Reading

Música de Domingo #33: Capital Cities

capitalcities

“Save and Sound” do Capital Cities é o tipo de música que você levanta e sai cantando e dançando pela casa de tão alegrinha que ela é. Mas ela só ficou na minha cabeça quando vi The Voice nesse fim de semana, já que os pupilos de Adam Levine fizeram uma versão dessa  música no Top 20.

(não existe vídeo bom no youtube de The Voice #chatiada)

O clipe:

In a Tidal Wave of Mystery é o disco de estréia dessa dupla de Los Angeles,que saiu esse ano. Tá mais do que recomendado.

Continue Reading

Circuito Banco do Brasil no Rio de Janeiro: como foi

circuito_banco_do_brasil

Nesse fim de semana rolou o Circuito Banco do Brasil no Parque dos Atletas, espaço conhecido por abrigar o Rock in Rio.

Tinha lido várias reclamações sobre a estrutura da edição em BH e confesso que fiquei preocupada. Mas tudo correu bem.

Organização: Por ser um evento com menos gente em um espaço gigantesto, ficou muito melhor para circular no Parque dos Atletas. A entrada foi rápida e tinha bastante ponto de venda de comida e bebida. Comer lá foi caro, como em todo festival e isso vai ser sempre um problema. Paguei 5 reais em uma Pepsi e 6 reais num pastel de uns 20 cm.

Shows: Cheguei meio atrasada e não vi o Rodrigo Amarante (#chatiadissima) mas outros shows compensaram e muito! Eu pulei a apresentação dos Detonautas porque não aguento a lenga lenga do Tico Santa Cruz.

Raimundos

O show dos Raimundos foi o mais divertido do festival. Eles optaram por um setlist recheado de hits e funcionou muito bem. Os caras tem anos de estrada e sabem entreter o público. Agradeço a eles boa parte do meu repertório de palavrões (sou mulherzinha mas um puta que pariu não mata ninguém)

Titãs

Outra banda com repertório gigante, os Titãs mostraram hits que passaram pelos 30 anos de carreira. Destaque pra Epitáfio, Marvin e Flores, minhas músicas favoritas deles.

Yeah Yeah Yeahs

Pra mim que conheço a banda, achei que o Yeah Yeah Yeahs fez um show competente, mas infelizmente eles foram chamados pro festival errado. A falta de empolgação e receptividade do público foi algo impossível de não ser notado, beirando a falta de educação.

A grande maioria não conhecia a banda e o estilo peculiar de Karen O não deve ter causado uma primeira impressão muito cativante. Como eu não estava nem aí se as pessoas conheciam a banda ou não, vibrei quando algumas das melhores musicas tocaram, como “Maps”, “Rich” e “Heads Will Roll”. Fui julgada com o olhar por várias pessoas ao meu redor por conhecer e ainda estar me divertindo. Ainda bem que eu nem ligo, não é mesmo?

Como o único vídeo do show não está com o som legal, dá uma olhadinha no show dos caras no Coachella, com pessoas mais animadas do que no show do Rio:

Red Hot Chilli Peppers

A grande atração da noite, o Red Hot mostra que é uma banda com energia. Flea é sem dúvida a grande atração, com suas danças, bananeiras, caras e bocas. Cheguei a ouvir que o Kieds estava devagar nessa turnê e que eles fizeram um show burocrático, mas não concordo, não. Impossível competir com o Flea em animação. Foi um típico show do Red Hot que os cariocas viram.

Do setlist que eu esperava, ficou faltando Around The World que sempre faz falta mas tocaram Suck My Kiss no lugar. Dos males o menor.

Continue Reading

Música de Domingo #32: Lollapalooza 2014!

Não ia ter música de domingo por motivos de: cansaço do Circuito Banco do Brasil ( post sobre ele em breve!) mas como o Lollapalooza achou bacana diulgar o line up oficial em pleno Show da Vida Fantástico, então estou aqui pra avaliar o que vamos ver em Interlagos nos dias 5 e 6 de abril.

lollapalooza_brasil_2014

Já o Sream & Yell divulgou a divisão de palcos e dias pra gente perder a cabeça fazendo escolhas, uma das piores coisas em festival. Bastante coisa parecida com o line up dos nossos amigos chilenos mas com um bom toque de música brasileira, com Raimundos e Vespas Mandarinas. Eu só não entendi porque trouxeram o Muse de novo. Poderiam ter colocado outra banda grande no lugar, já que eles acabaram de vir pro Rock in Rio.

Outra coisa legal é que o hype marcou presença forte. Boa sacada trazer Lorde, Capital Cities, Portugal, The Man, Jake Bugg e Savages, a gente aproveita e mata a curiosidade desse povo novo de uma vez.

Agora o principal disso tudo é o preço dessa brincadeira:  R$ 290 para um dia (no primeiro lote) R$ 350 (no segundo lote); R$ 540 (passaporte para os dois dias). Esperava coisa pior, tá bem razoável se compararmos com os preços praticados por outros eventos. Como nos outros anos, o parcelamento no cartão de crédito é em até 3 vezes sem juros, porque não está fácil pra ninguém, não é mesmo? A lotação em cada dia é de 80 mil pessoas, praticamente um Rock In Rio, o que não acho que vai ser uma boa ideia. Evento em São Paulo tem o problema de deslocamento, o metrô não colabora como deveria e isso pode gerar um perrengue na volta pra casa.

Sinceramente, não sei se vou, não sei se fico. Tô muito pilhada em ver algumas atrações, principalmente o Arcade Fire, mas vamos aguardar. Tem sempre a opção de ir pro Chile ou Argentina e fazer uma trip junto, o que não é uma má ideia 😉

Continue Reading