Música de Domingo #1: St Vincent

They could take or leave you
So they took you, and they left you
How could they be casually cruel?
Cruel, cruel, oh
Cruel, cruel, oh
Continue Reading

Song Pop: o vício da vez

Joguinhos de Facebook sempre geram polêmica: os que não querem se render reclamam daqueles que não conseguem parar nem um segundo de jogar. Mas, pelo menos na minha timeline do Facebook, o game que reina absoluto no momento  – e sem reclamação –  é o Song Pop.

O Song Pop é um jogo que você desafia seus amigos a acertar as músicas de uma determinada playlist. Quanto mais rápido, mais ponto você faz. Comigo, essa obrigação às vezes atrapalha. Na pressa á confundi Nirvana com Radiohead e errei Ai Se eu te Pego ( impossível alguém cometer esse erro, gostando ou não de Michel Teló)

O mais legal do Song Pop é resgatar músicas perdidas no tempo, desde artistas  dos anos 80 que grudam na sua cabeça até hits recentes que você nem conhecia.  Por isso, até fiz uma playlist no Grooveshark com os melhores achados nesses últimos dia de vício, é só clicar aqui embaixo:

Continue Reading

#Countdown Foo Fighters: 10

A320 (Godzilla Soundtrack)

I look out and on the ground
really don’t believe it
gravity can pull me from this height
(…)
Close my eyes and hope that it’s
a real smooth flight
this time
Close my eyes and hope that it’s
a real smooth flight
Na primeira vez que eu andei de avião (morrendo de medo, é claro), eu só mentalizei essa música até a sensação estranha passar.
Continue Reading

#Countdown Foo Fighters: 11

 

Walking a line, meu B-Side favorito que não deveria ter sido B-Side.

Continue Reading

#Countdown Foo Fighters: 12

“There were people that really resented me for starting this band. “How dare you start another band?” They asked me “Why did you decide to carry on and make music that sounds like Nirvana?” and I said “Well, wait a minute – like, loud rock guitars, and melodies, and cymbals crashing and big-ass drums? [pauses for effect] ‘Cause that’s what I do. I was in tha band (What do you want me to do?) Make a reggae record?”

Ainda bem que Dave não seguiu os passos de Bob Marley em direção ao Reggae.

Continue Reading

#Countdown Foo Fighters: 13

All My Life (@Wembley Stadium)

A música que vai levar todo mundo ao delírio e a rouquidão no dia seguinte.

Continue Reading

#Countdown Foo Fighters

Imagem

Exatos 14 dias me separam de uma realização pessoal que eu acho que todo mundo deveria ter: ver sua banda favorita ao vivo.  Daqui a duas semanas eu vou ter esse sonho realizado e finalmente ver meus lindos do Foo Fighters, show que eu espero por mais da metade da minha curta existência.

Eu ainda não estou tensa,mas essas sensações vão chegar em breve que eu sei. Pra tentar me acalmar e registrar isso de alguma forma, vou fazer uma contagem regressiva: em 14 dias, 14 vídeos, fotos, registros que de alguma formam me ligam a essa banda que eu tanto gosto.

Pra começar, uma das músicas que eu mais gosto: ao vivo em um show da primeira turnê, onde tudo era tão novo e incerto.

 Enough Space, Live At London

Continue Reading

Lana Del Rey e o hype desnecessário

Quando o nome da Lana Del Rey começou a pipocar nessas redes sociais da nossa vida, fui conferir “Video Games”, o primeiro vídeo da moça. Na hora achei – e continuo achando – a música chata pra caramba. Tem um tom meio fúnebre, meio deprê. Sem graça mesmo. Aí larguei de mão.

Até que um dia e um dos raros momentos em que eu ouço rádio, ouço uma música que me agradou. Anotei alguns versos pra pesquisar no Google sobre a dona da voz e o resultado foi… Lana Del Rey.

A música era Off To The Races. A voz continua deprê, mas ficou mais agradável com um ritmo mais animadinho que até casou bem.

Até que na última semana os moderninhos de plantão divulga o vazamento do álbum completo, o Born To Die. Lá vou eu dar mais uma chance pra moça.

Meu veredicto: o cd todo é mais do mesmo. As músicas não se destacam e só off to the races conseguiu uns megabytes no meu Ipod.

Não vai mudar a vida, não.

Continue Reading

Ingresso pra que te quero

 

Hoje em dia quem quer consumir cultura (principalmente bons shows) no Brasil precisa de duas coisas básicas: dinheiro e paciência. Ingressos caros por conta da proliferação da meia entrada e sites de venda de ingresso sofríveis fazem parte do cotidiano.

Em 2011, não passei perrengue pra comprar entradas para dois eventos que tive o prazer (e grana) pra presenciar: o Rock In Rio e o Planeta Terra. Comprei na boa mesmo, acho que dei muita sorte.

Já na pré venda do Lollapalooza… Paguei todos os meus pecados. Muitas senhas para pouco ingresso e site que não suportava todo o grande acesso em busca de ingresso = caos. Fiquei três horas tentando comprar meu pass e o site mal abria direito. Desisti e no dia seguinte me dividi entre o trabalho e a fila virtual até chegar a minha vez de comprar. Sem contar a taxa de (in)conveniência que chega a 20% do valor do ingresso. No caso do Lolla, foi 50 reais em troca de olheiras, stress e incerteza de que ia conseguir o ingresso.

E pra começar 2012 bem: Começa a venda da turnê dos Los Hermanos. Os fãs xiitas loucos dando F5 pra garantir a sua presença e o site nem carrega. Mais uma vez desisti de comprar nos primeiros minutos de venda. Só no meio da manhã o site funcionou de forma decente consegui completar a compra. Resultado: 4 shows na Fundição Progresso esgotados.

E já tem os babacas revendendo ingressos a preços exorbitantes. Desejo um prejuízo dos grandes pra quem quer se aproveitar dos outros dessa maneira.

A vida seria mais fácil se eu gostasse de Luan Santanna e pagode, meu bolso e minha sanidade iam agradecer muito.

 

 

Continue Reading